Compatilhar

sábado, 19 de agosto de 2017

Coisa de doido em Zé Doca

Olha o que foi feito lá!⬇


A juíza deu uma liminar garantindo a presença de todos na Câmara de Vereadores.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

SAUDE INDIGNA NO GOVERNO DINO: Auditoria do SUS constata que os serviços de saúde no MA são maquiados (mascarados)

O Departamento Nacional de Auditoria do SUS - DENASUS, pela Auditoria nº 16925 e Constatação Nº 458037 descobriu como o governo Flávio faz a maquiagem dos serviços de saúde oferecidos à população.

O DENASUS constatou que a OFTALMO DAY CLINIC LTDA - EPP contratada para atender no BAIRRO CIDADE OPERÁRIA tem dados maquiados. Os auditores descobriram que o governo Flávio Dino contratou a referida clínica com a estrutura do endereço na Av. Colares Moreira nº 06, Bairro: Renascença o que corresponde à matriz da instituição contratada.

No atendimento da Clínica na CIDADE OPERÁRIA, os auditores constaram divergências entre os dados da capacidade instalada e dos recursos humanos necessário para atender a população. Dizem que os contratos com a Secretaria de Estado da Saúde não estão incluídos no Sistema de Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde – SCNES, nem a matriz e nem a filial da OFTALMO DAY CLINIC LTDA – EPP.

Constataram ainda o seguinte:

1 - Não está cadastrado o atendimento para o SUS realizado no estabelecimento, indicando somente atendimento particular;

2 - Cadastrado 04 (quatro) leitos de oftalmologia e 05 (cinco) consultórios de clínica especializada, existindo três leitos e quatro consultórios;

3 - Cadastrada sala de atendimento a paciente crítico/sala de estabilização, sala de recuperação, serviço de urgência/emergência e serviço de nutrição e dietética, que não foram localizados no estabelecimento.

4 - Quanto aos recursos humanos foi fornecida a relação dos profissionais sendo evidenciado que a mesma se encontra muito diferente dos profissionais relacionados da Unidade Cidade Operária (CNES 3323382).

5 - Alegaram aos auditores que os profissionais estão cadastrados na matriz da Clínica no Renascença onde consta o contrato com a SES, mas eles evidenciaram uma desatualização;

6 - Descobriram que quatro médicos não estavam no CNES - Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (Ricardo da Rocha P. Alves, Heitor do Amaral Simões, Lucas Valadão de B. Soares e Francisco P. Martins Junior), enquanto no CNES existem profissionais que não mais trabalham na instituição sendo: Maira de França A. Martins (médica), Justina Patrícia B. de Araújo (enfermeira), Joel C. da Silva e Lidiane M. Lima (técnicos de enfermagem). 

Concluíram os auditores do DENASUS que “não estão sendo cumpridos, tanto pelo estabelecimento de saúde quanto pelo Gestão Estadual da Saúde, visto que constitui responsabilidade dos gestores municipais, estaduais e do Distrito Federal/DF, bem como dos gerentes de todos os estabelecimentos de saúde a correta inserção, manutenção e atualização do SCNES dos profissionais de saúde em exercício nos seus respectivos serviços de saúde”. Ressaltaram ainda que os dados que encontram-se desatualizados não inviabiliza os serviços objeto do contrato.

Fonte da Evidência: CNES nºs 3323382 e 3549097; Relação de profissionais; inspeção física e observação direta, em 26/10/2016 e registro fotográfico, foto 2, anexo 1.

Conformidade: Não Conforme

Acatamento da Justificativa: Não apresentou justificativa

Responsável: CARLOS EDUARDO DE OLIVEIRA LULA, CPF: 912.886.063-20

A mesma clínica também consta em contrato irregular no governo anterior, onde Ricardo Murad é acusado de contratar irregularmente as empresas Oftalmo Day Clinic Ltda (Hospital da Visão do Maranhão) e Clínica Dr. José Afrânio L. de Moraes Ltda para execução de serviços médicos especializados em oftalmologia.

Ou seja, Flávio Dino seguiu com a s mesmas práticas dos seus antecessores. Mais trabalho para o Ministério Público Federal.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

VEJA A MUDANÇA RADICAL DO GOVERNADOR DO MARANHÃO

COMO ERA FLÁVIO DINO ANTES DE SER GOVERNADOR

COMO FICOU FLÁVIO DINO SENDO GOVERNADOR
GANHOU ATÉ DESTAQUE NACIONAL
video

Indícios apontam armação contra advogado em Zé Doca articulada dentro da Câmara Municipal

Um factoide foi montado na Câmara Municipal de Zé Doca contra o advogado Renato Coelho Cunha que, segundo apurou o blog tem o dedo do político conhecido como Maranhãozinho, declarado desafeto da família Cunha naquele município.

O palco da armação foi na Câmara Municipal de Zé Doca. Lá, a Senhora MARIA DAS GRAÇAS DE OLIVEIRA SIPAÚBA, partidária de Maranhãozinho, disse que teria contratado o advogado para registrar uma propriedade sua e que, ao invés disse o advogado teria registrado para si o tereno em nome de um ‘laranja’, que seria a pessoa de nome ALINE GOMES DE ARAÚJO. 

Maria das Graças afirmou ainda que teria denunciado o caso à Justiça.

O blog investigou o caso e encontrou na Comarca de Zé Doca o Processo nº 1279/2015, no qual consta uma ação de reintegração de posse do terreno que a Senhora MARIA DAS GRAÇAS DE OLIVEIRA SIPAÚBA alega ter sido grilado pelo advogado Renato Cunha.

AGORA VEJA A VERDADE DOS FATOS QUE CONSTA NO PROCESSO

No processo 279/2015, MARIA DAS GRAÇAS SIPAÚBA alegou ser dona de um terreno localizado na Rua dos Técnicos, Bairro Vila dos Técnicos, município de Zé Doca, disse que o imóvel foi doado ao seu falecido marido pela COLONE - COMPANHIA DE COLONIZAÇÃO DO NORDESTE e pelo MUNICÍPIO DE ZÉ DOCA/MA. Sustentou perante à Justiça que teria descoberto que seu terreno estaria sendo registrado por ALINE GOMES DE ARAÚJO E MARCOS MENDES VIEIRA NETO e requereu a reintegração de posse.

ALINE GOMES DE ARAÚJO E MARCOS MENDES VIEIRA NETO sustentaram para a Justiça que o terreno adquirido por eles não seria o mesmo imóvel ocupado pela MARIA DAS GRAÇAS SIPAÚBA e nem tampouco seria o mesmo terreno que supostamente teria sido "doado" pela COLONE ao falecido marido dela.

Ao Analisar a ação, a juíza da Comarca, DENISE PEDROSA TORRES, disse que não há prova a respeito do exercício de posse pela MARIA DAS GRAÇAS SIPAÚBA e nem prova de grilagem do terreno que ela alega ser dona.

E no final decidiu a juíza: “Pelo exposto, julgo IMPROCEDENTE os pedidos, haja vista a ausência de provas do direito alegado pela parte autora, extinguindo o processo COM resolução de mérito”.

MÁ FÉ
Na ação não consta o envolvimento de advogado Renato Coelho Cunha como denunciou MARIA DAS GRAÇAS SIPAÚBA na Câmara Municipal de Zé Doca. A ação é datada de 16/07/2015 e a decisão da juíze e de 31/10/2016.

O mais grave é que o nome do advogado Renato Coelho Cunha foi colocado na história em armação articulada na Câmara Municipal de Zé Doca, comandada pelo político Maranhãozinho.
Dona Maria das Graças Sipaúba estaria sendo usada na armação política para atingir a família Cunha no Município.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Governador do Maranhão é pego por Lei de Transparência de Roseana Sarney

O Governador do MA, Flávio Dino, de tanto atacar os Sarney acabou sendo pego por Lei de transparência sancionada por Roseana Sarney em 2013.

O ditado "QUEM OLHA PRO RABO ALHEIO, ESQUECE DO SEU...". Se cumpriu na gestão do governador Flávio Dino.

O governador do Maranhão, avesso às leis deixadas pelos Sarney, faz vista grossa à legalidade e nomeou um condenado em definitivo pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) em suas prestações de contas apresentadas quando esteve à frente do Instituto Municipal de Aposentadorias e Pensões (IMAP) do Município de Vargem Grande. É a segunda vez, na atual gestão, que o membro do PCdoB foi nomeado no cargo, subordinado diretamente à Secretaria de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos (SECAP). A nomeação, assinada por Dino e o Secretário Marcelo Tavares (Casa Civil), consta no Diário Oficial do Estado do dia 5 de julho de 2017, a contar de 1º de junho do ano em curso.

DECRETO Nº 29.723, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2013.

Regulamenta dispositivos da Lei nº 9.881, de 30 de julho de 2013, que disciplina as nomeações para cargos em comissão no âmbito dos órgãos do Poder Executivo e Legislativo Estadual e dá outras providências.
A GOVERNADORA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e V do art. 64 da Constituição Estadual,
PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO, EM SÃO LUÍS, 18 DE DEZEMBRO DE 2013, 192º DA INDEPENDÊNCIA E 125º DA REPÚBLICA.
ROSEANA SARNEY
Governadora do Estado do Maranhão

domingo, 13 de agosto de 2017

COREIA DO NORTE: Entenda como tudo começou e Por que os EUA não atacam de uma vez?

A história da Coreia do Norte começa quando acaba a Segunda Guerra Mundial, em 1945. Neste ano os japoneses foram expulsos da península coreana pela guerrilha liderada por Kim Il Sung e forças soviéticas e dos EUA ocuparam a área.

Os soviéticos estabeleceram-se ao norte do paralelo 38 e os EUA ao sul. Formaram-se dois países divididos que reclamavam o direito sobre toda a península, cada um proclamando ser o legítimo representante do povo coreano. O paralelo 38 é uma linha paralela localizado a 38 graus norte do plano equatorial da Terra, que divide as duas coreias.

A paz se mantinha fragilmente e em 25 de junho de 1950 a Coreia do Norte tentou a unificação do país avançando rumo à chamada Coreia do Sul, dominada por tropas americanas e deu início a uma grande guerra, envolvendo China e União Soviética de um lado e osEstados Unidos do outro. Em 27 de julho de 1953 foi assinado um armistício entre o comandante do exército norte-coreano e um representante da ONU, criando uma zona desmilitarizada entre os dois países.

Um regime de partido único tal qual o soviético foi implantado no país e tem sido assim até hoje. A Coreia do Norte apresentava bons índices de desenvolvimento econômico e industrial durante todo o terceiro quarto do século XX, graças à ajuda da URSS e ao cenário econômico mundial, mas a partir da crise do petróleo que surgiu nos anos 1970 o país parou de crescer. 

Hoje depende freqüentemente de ajuda humanitária e apresentou, em 1995, um IDH com o Coeficiente de Gini no valor de 0.766, similar ao da China nos dias atuais, e superior ao IDH do Brasil na época. Mas o país, que passa por crises sociais graves busca acordos multilaterais para se re-erguer.

Em 1994 morreu Kim Il-sung, que governara o país desde 1948. Seu filho, Kim Jong-il, assumiu o comando do partido dos trabalhadores norte-coreano em 1997, e seguindo a linha do pai, opõe-se à abertura econômica do país, inflando gastos com o setor militar, possivelmente para barganhar algo dos inimigos políticos.

Em dezembro de 2011, Kim Jong-il morreu de ataque cardíaco em um trem e, desde este incidente, seu filho mais novo Kim Jong-un foi indicado ao cargo logo após a morte de seu pai e, em 2012, se tornou o comandante do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte e, por consequência, presidente do país.

Fonte: pt.wikipedia.org

Por que os EUA não atacam a Coreia do Norte de uma vez?